Mundo | segunda-feira, 30 de maio de 2011

O Egito pós-Mubarak e a abertura da fronteira com Gaza

Após a renúncia do ditador Hosni Mubarak, em fevereiro deste ano, depois dos violentos protestos ocorridos no Egito e que desencadearam uma série de levantes no mundo árabe, o país começa a dar sinais de mudança em sua política externa e interna. A junta militar, que governa interinamente o Egito, anunciou a abertura permanente da fronteira com Gaza. O bloqueio, que durava quatro anos, foi imposto por Mubarak, que cooperava com o bloqueio imposto por Israel. Os palestinos estavam isolados desde 2007, quando o grupo islâmico Hamas assumiu o controle de Gaza. Internamente, o Egito vive uma preocupante alta nos preços dos alimentos, uma taxa de desemprego perto de 30% e espera a retomada do turismo, uma importante e tradicional fonte de renda.