Publicidade

Posts com a Tag cpi do cachoeira

terça-feira, 29 de maio de 2012 Política | 18:27

‘Não pude dizer não’, diz novo vice-presidente da CPI

Fred Raposo, iG Brasília

O novo vice-presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Cachoeira, deputado Paulo Teixeira (PT-SP), admite ter relutado inicialmente ao convite do presidente da CPI, senador Vital do Rêgo (PMDB-PB) a assumir o posto. “Em todos os momentos em que ele me convidou eu indiquei outras pessoas”, afirmou ao iG o petista.

Assista ao vídeo aqui

“Mas (elas) tinham algum impedimento, alguma dificuldade para assumir. Então, relutei, mas ele confirmou este convite no final de uma forma que não pude dizer não”, reforçou. Paulo Teixeira foi eleito com 21 votos, contra oito do senador Pedro Taques (PDT-MT) – considerado da ala independente da legenda –, além de duas abstenções.

A eleição do petista aconteceu após o partido procurar o PMDB, esta manhã, para tentar unificar a base em votações da CPI. A oposição reagiu. “Não existe CPI sem a função importante da presença da minoria. Essa atitude de indicar o ex-líder do PT para ser o vice-presidente (da CPI) está nessa linha de que não há limite para nada”, criticou o deputado Onyx Lorenzoni (DEM-RS).

Teixeira afirma que sua principal será substituir Vital quando ele “tiver dificuldade” para presidir a sessão. E negou que sua escolha vá atuar na blindagem do governo. “Não sou soldado do governo porque o governo não tem posição nesta CPI”, diz o petista. “Vou continuar no plenário. Só vou substitui-lo na ausência dele”.

Leia mais »

Autor: Tags:

quarta-feira, 25 de abril de 2012 Política | 20:21

Defesa de Demóstenes pede arquivamento de processo no Conselho de Ética

O advogado de defesa do senador Demóstenes Torres (sem partido-GO), Antônio Carlos Almeida Castro, entregou nesta quarta-feira (25) a defesa prévia do parlamentar ao Conselho de Ética do Senado. No documento, de 61 páginas, o advogado apresenta argumentos para pedir o arquivamento do processo  disciplinar contra o senador.

Leia mais: CPI pedirá ao STF inquéritos das operações Vegas e Monte Carlo

Advogado de Demóstenes entrega defesa do senador ao Conselho de Ética

“A defesa tem uma base evidentemente jurídica na qual levantamos pontos em que, no nosso entendimento, justificava que o processo fosse arquivado nesse momento”, disse Almeida Castro.

O Conselho de Ética reúne-se amanhã (26), às 10h, e poderá já nesse encontro analisar a defesa apresentada pelo senador.

Ao entregar o documento na secretaria do conselho, Almeida Castro disse que identificou manipulações nas gravações telefônicas feitas pela Polícia Federal que indicam elo do senador Demóstenes com o bicheiro Carlinhos Cachoeira.

Leia também: Partidos fecham lista de indicados e Congresso instala CPI

Nova ação da PF: Presos ex-diretor da Delta, vereador e servidor do DF

“Nós tivemos acesso, agora, com mais calma, a essas provas e notamos que existem alguns erros que podem significar adulteração dessa mídia, o que é uma coisa bastante grave”, disse o advogado. “Quero uma perícia nessa gravação para saber que manipulação foi feita nessa gravação.”

Hoje era o último dia para o senador Demóstenes Torres apresentar sua defesa ao Conselho de Ética do Senado.

Entre os argumentos apresentados na defesa do senador, uma deles refere-se à origem da representação oferecida ao Conselho de Ética. De acordo com o advogado, não se pode admitir uma denúncia que tenha origem em reportagens.

O advogado também ponderou que a Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) do Cachoeira, instalada hoje, tem o mesmo alvo de investigação e, portanto, o Conselho de Ética poderia aguardar o resultado da comissão. A CPI tem 180 dias para concluir seu trabalho.

Com Agência Brasil

Autor: Tags:

Política | 19:05

Collor vai para o ataque 20 anos após o impeachment

Collor vira membro de CPI 20 anos depois do impeachment

O ex-presidente e senador Fernando Collor de Mello (PTB-AL) partiu para o ataque nesta quarta-feira assim que assumiu como membro da CPI que vai investigar o elo do bicheiro Carlos Cachoeira com políticos.

Leia mais: CPI terá Collor e ficha-suja entre membros

Antes no banco dos réus, quando sofreu o processo de impeachment e renunciou à Presidência, agora Collor assume o papel de juiz e disse hoje que vai combater a “vileza política” e não vai deixar que a CPI seja “um campo fértil de desrespeito aos direitos constitucionais dos homens públicos e de qualquer cidadão brasileiro”.

Leia também: CPI pedirá ao STF inquéritos das operações Vegas e Monte Carlo

Collor também atacou a imprensa, disse que a comissão não pode se pautar “pelos meios e alguns de seus rabiscadores” e acusou setores da mídia de produzirem “notícias falsas ou manipuladamente distorcidas”.

Autor: Tags: ,

Política | 18:29

Delta diz que manterá obras e que dono se afastou por ‘isenção’ em auditoria

Fernando Cavendish

Fernando Cavendish se afastou do comando da Delta Construções

A Delta Construções justificou em nota divulgada nesta quarta-feira o afastamento de seu proprietário, Fernando Cavendish, do comando da empresa, junto ao diretor Carlos Pacheco. Segundo a construtora, os dois executivos decidiram licenciar-se do conselho administrativo para demonstrar “isenção com que se pretende sejam conduzidos os procedimentos da auditoria”.


A Delta está no centro das investigações das denúncias de uma rede de corrupção encabeçada por Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira. Por isso, segundo a empresa, foi determinada a realização de uma auditoria para averiguar todas as práticas de responsabilidade da Diretoria do Centro-Oeste.

A empresa, que tem 195 obras em andamento, também garantiu que “continuará a cumprir seus contratos, obrigações e compromissos assumidos com seus fornecedores e clientes”.

O ex-diretor da Delta no Centro-Oeste, Cláudio Abreu, afastado desde 8 de março da empresa, foi preso pela Polícia Federal (PF), junto a um vereador de Anápolis, Goiás. De acordo com a nota da Delta, os atos de Abreu “eram inteiramente desconhecidos pela administração da empresa e por seus acionistas”.

A direção da Delta, durante a investigação, ficará a cargo de Carlos Alberto Verdini, que trabalha na empresa desde 2003. Na quarta-feira, a CGU anunciou a abertura de um processo para apurar as denúncias de tráfico de influência e corrupção que atingem empresa. As suspeitas da Polícia Federal são de que a construtora teria alimentado doações eleitorais repassadas por Cachoeira.

Se for declarada inidônea, a Delta será proibida de firmar contrato com órgãos públicos e os contratos existentes poderão ser cancelados. Segundo levantamentos, a Delta é a principal construtora do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento). Apenas no ano passado, a empresa faturou mais de R$ 862 milhões com obras federais. A CGU afirmou que a empresa terá o direito de se defender das denúncias e não há um prazo para conclusão do processo.

Além da investigação da CGU, a empresa será alvo da Comissão Parlamentar Mista de Inquério (CPI) instalada para investigar o elo de Carlinhos Cachoeira com servidores públicos e privados.

iG explica: Entenda a rede de ‘negociatas’ do Carlinhos Cachoeira

Acuada pelas denúncias, a Delta já começou um movimento de abandono de grandes obras, como a sua participação nos consórcios que tocam a reforma do Maracanã, a construção da TransCarioca e do polo petroquímico de Comperj. Com 25 mil empregados diretos e 5 mil indiretos, a empresa tenta agora evitar o efeito dominó que atingirá outros projetos.

Autor: Tags:

Política | 18:27

Delta entrega documentos à CPI do Cachoeira

Carlos Alberto Verdini, que assumiu a Delta após o afastamento do dono da construtora, Fernando Cavendish, entregou nesta quarta-feira uma caixa de documentos à CPI do Cachoeira, que investiga as relações do bicheiro com políticos, agentes públicos e privados. Cavendish deixou o comando da empresa em meio a denúncias de ligação com Carlinhos Cachoeira.

Leia também: Ex-diretor da Delta e vereador de Anápolis são presos em Goiás

O novo presidente da Delta entrega documentos à CPI do Cachoeira

Em comunicado divulgado pelo presidente da Delta, a empresa informa que foi determinada “uma ampla auditoria para averiguar as práticas da diretoria no Centro-Oeste”. O ex-diretor da Delta da região, Cláudio Abreu, foi afastado do cargo após divulgação de escutas telefônicas da PF em que ele aparece em negociações com o esquema de Cachoeira. Abreu foi preso hoje pela Polícia Federal.

Leia também: Em áudio, dono da Delta diz que é fácil comprar políticos

Saiba mais: Delta ganhou R$ 862 milhões em 2011 com obra federal

De acordo com o presidente da Delta, a auditoria na empresa tem como objetivo “verificar em que extensão essas ações foram executadas burlando os procedimentos de controle praticados na companhia”. O comunicado da empresa afirma ainda que as conclusões da auditoria serão “colocadas à disposição das autoridades competentes, sem quaisquer ressalvas,” tão logo seja terminado o procedimento investigatório.

A secretaria da CPI informou que já comunicou ao presidente do colegiado, senador Vital do Rêgo Filho (PMDB-PB), a entrega dos documentos pela Delta. A CPI, que foi instalada oficialmente nesta quarta-feira, já recebeu um total de 162 requerimentos para ouvir testemunhas e conseguir documentos de investigações oficiais.

Autor: Tags: